enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

28/05/2019 10:39h - Atualizado em 28/05/2019 10:45h

Por 5 votos contra, 4 a favor e uma abstenção corte no subsidio é derrubado

Por Maria Alice/Vitória Ramos, com Carlos Alberto Alves
Placar da votação do requerimento que pedia redução em 50%  dos subisdio pagos aos vereadores
Placar da votação do requerimento que pedia redução em 50% dos subisdio pagos aos vereadores

 

Na reunião de segunda, dia 27/05, os vereadores de Passos votaram o requerimento do vereador João Serapião, que pedia a Resolução diminuindo em 50%  o que cada um recebe, além de pôr fim a 13ª parcela paga aos edis. Por 5 votos (Belinha, Teo Lemos, Erick Silveira, Alex Bueno e Raimundo Leandro) a 4 (João Serapião, Aline Macedo, Dr Rodrigo Barreto e Dona Cida) o requerimento foi derrotado e será enviado ao arquivo da Casa. Iran Parreira se absteve. Se tivesse votado  favorável a decisão cairia na mão do presidente da mesa, vereador Rodrigo Maia. Isto, porem, não iria alterar o resultado, já que o presidente fez questão. Embora não precisasse, dizer que votaria contra o requerimento. Código tributário e transporte coletivo foram outros assuntos que constou da pauta de discussão da sessão de ontem

Erick Silveira é contra o novo Código Tributário

Erick Silveira falou sobre a criação do novo Código Tributário do município, onde o mesmo encontrou algumas irregularidades. Uma delas é que com a criação de novos impostos, surgem também novas isenções, assim sendo, é necessário que a prefeitura apresente uma reposição para essa receita, o que não consta no projeto, segundo ele, isso fere o código de responsabilidade fiscal, o que cabe processo tanto à prefeitura quanto aos vereadores, caso aprovem o projeto com essa e outras irregularidades. Além disso, Erick se mostrou contra a criação três de novos impostos no município: taxa de vigilância sanitária, coleta de lixo e iluminação pública. Por fim, levanta o problema da falta de diálogo, “não sei como cria um código tributário sem ouvir o povo, que é quem arca com esses custos”. Segundo Erick, a prefeitura não deu nenhum retorno sobre as irregularidades contidas no projeto.

Alex Bueno critica a conduta da prefeitura na licitação do transporte

O vereador Alex Bueno iniciou o seu pronunciamento agradecendo a aprovação em primeiro turno dos projetos de sua autoria, que tornam a Paixão de Cristo e o Desfile de 14 de Maio  patrimônios culturais da cidade de Passos, e agora contam com o recebimento de fundos do órgão responsável. Em seguida, levantou também a pauta do transporte público, lamentando que a câmara não seja convocada a participar junto a prefeitura desses processos, já que é um assunto tão importante. “Só vem pra cá quando a bomba já estourou”, Alex salientou também a importância de uma audiência pública para ouvir a comunidade acerca dessa pendência. Por fim, o vereador esclareceu a confusão ocorrida entre a Igreja São Benedito e a Congada de Passos, segundo pronunciamentos de ambas as instituições, foi tudo um mal entendido e o planejamento era justamente que as festividades ocorressem apenas na praça.

Dona Cida critica falta de solução para o transporte coletivo

No pronunciamento da vereadora Cida, começou se lamentando  a respeito do transporte coletivo de Passos “ Eu apresentei a pauta como prioridade e preocupação desde o início que chegamos nessa casa, há trinta meses. E a administração municipal não nos dá nenhuma resposta concreta. Agora chegou a esse ponto!” afirmou a vereadora. A mesma ainda questionou se a prefeitura está disposta a realizar um amplo processo de licitação para vir outra empresa ou se continuariam com essa, mesmo todos sabendo que o contrato vence agora, dia 14/06. “Já teve muito tempo pra se organizar e pensar como seria feito isso, pra não deixar chegar no ponto que chegou” declarou Dona Cida.

Logo depois, no final da sua fala, Maria Aparecida contou que recebeu a comunicação do deputado federal Patrus Ananias de que sendo enviado está enviando 200 mil reais para a Santa Casa,. “Pela qualidade do atendimento e pela linha de desempenho, um trabalho muito importante para Passos e toda a região, principalmente nesse momento em que a gente só vê falar de cortes.”

Téo Lemos: “Podem me xingar se não concordar com a minha postura, só não venham me colocar a mão”:

O vereador Téo Lemos subiu na tribuna comentando sobre o requerimento que pedia a elaboração da Resolução que reduzia em 50% o subsidio pago aos vereadores e o fim do 13º,   que não foi aprovado. Logo depois, o mesmo afirmou que nunca viu o prefeito usando a devolução da câmara em prol do município, como em medicamentos e operações tapa buraco.  “Eu gostaria de sugerir para o vereador que sugeriu o requerimento: se caso ele devolver metade do salário dele até o final de 2020, dá mais ou menos o valor de 90 mil reais. Somados aos 31.533,00 que ele ganha por ano, esse valor ultrapassa os 200 mil reais. Então eu gostaria de sugerir o vereador, que repense sobre os seus ganhos, mesmo que ele não devolva metade do salário, que deixe de receber com agente da zoonose. Por que não é ilegal, mas, a meu ver, é imoral”. O vereador também citou que tem alguns vereadores que fazem “graça” ,“politicagem” e “média” para a população com requerimentos que todos sabem que não serão aceitos na

O  vereador João Serapião, que não conseguiu se inscrever no Grande Expediente, falou a reportagem, respondendo a Téo Lemos. “Sou concursado, tenho profissão, ao contrario dele, que disse depender do que ganha na Câmara, o que faço como caridade nem a mim confesso, já o que propus foi Politica Pública para servir a todos e que resultaria  me mais de R$2,3 milhões em quatro anos de mandato para ser usado em benefício do povo”, disse.

Téo Lemos também comentou a respeito do transporte público da cidade. Ele afirmou que ano passado o gerente da Cisne, viação de transporte público de Passos, não tinha interesse em continuar trabalhando no município. Para continuar eles querem acabar com o terminal rodoviário de Passos, receber algumas dividas de 2012, 2013 e 2016, que dá um montante de um milhão e sessenta mil reais. Esse valor para continuar com apenas os microônibus. Para a empresa de ônibus, Téo também deixou um recado:  Se for fazer qualquer acordo com o município, que dê um transporte digno para a população, pois, “sinceramente, o transporte que está aí hoje não é digno para a nossa população de Passos”

O vereador também comentou a respeito do buracão do Bairro Coimbras, alegando que as obras continuam, mesmo que algumas pessoas tenham espalhado que as obras vão parar.  Por fim, ele alertou aos moradores de Passos sobre a lei de autoria do mesmo sobre a multa ambiental para cidadãos que jogam lixo na rua.