Fechar

enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poderá ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opção 2
    Opção 3
    Opção 4

02/07/2013 10:13h - Atualizado em 02/07/2013 10:30h

Movimento #vemprarua entrega documento para prefeito e presidente da Câmara

Por Correio do Vale do Rio Grande
MANIFESTANTES NA RUA
MANIFESTANTES NA RUA

O movimento #vempraruapassos, agora com o subtítulo #continuanaruapassos entregou ontem ao prefeito Ataíde Vilela (protocolou na prefeitura) e para o presidente da Câmara Luiz Carlos Souto Junior, que recebeu dois representantes do movimento, Lucas  Eduardo e Leidhy Silva. “Fomos bem recebido e o vereador prometeu receber o movimento em audiência assim que a prefeitura encaminhar os projetos sobre a Taxa de Iluminação e IPTU”, disse Lucas Silva em frente ao prédio da prefeitura, na tarde noite de ontem, quando outra manifestação, desta vez reunindo cerca de 150 pessoas. De lá foram até à Câmara, onde encontraram as portas fechadas, em razão do legislativo ter entrado em recesso no dia de ontem.

Leia a íntegra do documento encaminhado ao prefeito e entregue ao presidente da Câmara.

Ao Prefeito Municipal

Ao Presidente da Câmara Municipal

O Movimento Vem Pra Rua Passos vem por meio deste apresentar como resultado de debates realizados desde o início deste grupo algumas demandas que por maioria foram escolhidas como prioridades e pauta de reivindicações, essas que são também motivos pelos quais estão se realizando os atos públicos promovidos por este coletivo obtendo-se a participação representativa de um grande número de pessoas vindas de todas as regiões de nossa cidade.
Sabemos que nossa cidade carece de mudanças estruturais para que tenhamos nessa e nas próximas gerações ações afirmativas para a garantia de direitos, acreditamos que nossa cidade pela importância que desempenha regionalmente pode e deve assumir seu papel de grandeza acelerando seu desenvolvimento e tendo como principal aliada sua população, como filhos/as desta terra a qual nascemos ou escolhemos viver.

Este Movimento que nasceu das ruas para que sejam ouvidas as vozes do povo, para ser encontro entre aqueles/as que sonham o mesmo sonho de uma cidade melhor tem no diálogo o principio fundamental para os avanços que precisamos. Comprometemo-nos inteiramente em sermos preservadores da paz seja nos atos públicos que realizamos ou nas opiniões expressadas como forma de conscientização popular.

Afirmamos nosso real desejo de respaldados pelo direito democrático continuarmos nas ruas com o claro objetivo de despertar nos passenses a força necessária para que tenhamos um povo consciente e compromissado com essas necessárias mudanças. Dentre os temas necessários ao debate Por Uma Cidade Melhor destacamos:

1- Repudiamos a atitude do executivo municipal quando no inicio deste ano fechou algumas unidades do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) alegando a falta de recursos e por outro lado gastando desnecessariamente recursos que possivelmente poderiam ser alocados para a função social desempenhada pelos CRAS. Queremos a volta das atividades, pois acreditamos que o trabalho realizado pelas equipes destes Centros são essenciais e nossa população, principalmente as comunidades diretamente atingidas reconhecem a importância deste trabalho.

2- Somos contrários à cobrança abusiva de impostos, sejam eles de nível federal, estadual e municipal. Por isso nos posicionamos insatisfeitos ao possível aumento previsto para o IPTU em nossa cidade, bem como a possível volta da cobrança da Taxa de Iluminação Pública. A partir da decisão da Câmara Municipal em aprovar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para o próximo ano que em seu conteúdo abre caminho para essas medidas. Queremos dialogar sobre a LDO.

3- Solicitamos aos vereadores que cobrem bem como ao executivo municipal que disponha publicamente relatório completo de todos os cargos comissionados e especiais da prefeitura. Nomes, funções e salários e também a justificativa da existência destes mesmos cargos, queremos transparência.

4- Acreditamos na arte como aliada para uma boa formação humana, profissional e social, percebemos a necessidade de que nossa cidade desenvolva a médio e longo prazo projetos que contemple a rede municipal de ensino com atividades culturais que valorizem nossa cultural regional e o talento nato dos passenses. 

5- As conquistas do povo não podem e nem devem ser conduzidas à nenhuma direção que não seja o bem estar social e serviços que tenham essa garantia. O Movimento Vem Pra Rua Passos se manifesta em favor da abertura e funcionamento imediatos do Restaurante Popular. Este Movimento reproduzindo as vozes das ruas exige que o Mercado Municipal, recentemente reformado seja destinado, como prevê o projeto inicial, aos trabalhadores da Economia Solidária e repudiamos qualquer possibilidade de terceirização ou destinação à iniciativa privada. 

6- Exigimos aos vereadores e vereadoras que tomem no clamor vindo das ruas incentivo para que desempenhem de fato suas funções como agentes e servidores do povo sem que se pautem pelo interesse particular e em momento algum atuem em detrimento da vontade popular. A Câmara Municipal é casa do povo e lá queremos estar como também ver a atuação do legislativo próxima às pessoas onde elas estão como canal de diálogo. Muito além de criar leis queremos que a Câmara Municipal seja lugar da participação popular. Que a atuação seja independente e que o principal aliado seja o povo.

7- Acreditamos que a mudança começa quando se tem vontade para fazer, por isso exigimos uma reforma administrativa como primeiro passo, o corte de gastos e a reorganização da estrutura administrativa são fundamentais para que tenhamos um novo horizonte de transparência no trabalho realizado pela prefeitura municipal. Reforma administrativa já!
Em harmonia com os desejos de um novo tempo é que nossa população representada aqui pelo Movimento Vem Pra Rua Passos vem propor que a Prefeitura Municipal representado na pessoa do prefeito Ataíde Vilela, a Câmara Municipal representada pelosas vereadoresas estabeleça espaços de diálogo para que seja aprofundado o debate e juntos possamos chegar às soluções que nos farão uma cidade respeitada por ouvir o povo enquanto cidadãos e cidadãs de direito e deveres, estes que carregam os sonhos de que Passos possa ser em um futuro próximo a terra onde os serviços sejam humanizados, a honestidade seja fundamento e o respeito à opinião seja valorizado. Solicitamos a realização imediata de audiência pública, com a Câmara e a Prefeitura para que sejam tratadas as reivindicações. 

Passos 01 de julho de 2013


Movimento Vem Pra Rua Passos

Parte superior do formulário

 

1 Ato do movimento 

DO FACEBOOK PARA A RUA

O dia 26 junho foi um dia histórico para a cidade de Passos, quem esteve nas ruas por volta das 18h, se deparou com mar de pessoas que desciam com cartazes, faixas, apitos, máscaras, caras pintadas e bandeiras, pela Avenida da Moda sentido Prefeitura e Câmara Municipal de Passos.

O Movimento #VemPraRuaPassosMG, que convocara a população via redes sociais (especialmente o facebook) a comparecem em frente a Praça da FESP,  de onde sairia  uma passeata, que percorreu a avenida da Moda até desembocar na Praça do Rosário e, concluindo a manifestação, colar cartazes nas paredes e portas de vidros da Câmara Municipal. Nos cartazes e faixas reclamos elaborados pelos organizadores e de iniciativas dos próprios participantes.

Participaram da passeata, pessoas de todas as classes sociais, de diversos bairros, de vários seguimentos da sociedade, além de crianças, idosos e uma maioria de jovens que reivindicaram caminhando pelas ruas de Passos de forma totalmente pacífica. Após um acordo com Polícia Militar de mudança de trajeto, aceito pelos organizadores, a banda da Polícia Militar tocou algumas musicas, entre elas, o hino nacional que foi acompanhado pelos manifestantes emocionados. Logo após, eles desceram sentido Centro pela Comendador Francisco Avelino Maia.

Com gritos como “sou brasileiro com muito orgulho e vem pra rua vem, manifestantes passavam e iam convidando os moradores que estavam nas esquinas e na porta de suas casas para que também aderissem ao movimento e os acompanhassem. Assim que iam passando pela Avenida da Moda, alguns moradores da sacada de seus prédios acenavam e gritavam em apoio a passeata, uma senhora jogou pétalas de rosas de cima de seu prédio em forma de apoio aos manifestantes.

Dentre os cartazes e faixas, as reivindicações principais eram: contra a instituição da taxa de iluminação Pública, pela estadualização da FESP, a volta da aula de arte nas escolas, a reabertura dos CRAS, mais médicos nos PSFs e UPA, mais segurança e contra o aumento abusivo do pedágio na MG-050 e contra o aumento do IPTU.

“Hoje é um dia histórico em Passos, na construção de uma cidade melhor, e eu acredito que a partir desse movimento as pessoas começarão a despertar para as mudanças que são possíveis de acontecer. Passos hoje dá uma grande  lição, vindo pra rua e cobrando de quem é necessário para que tomem posturas mais firmes e que sejam atendidas as nossas pautas”, disse Lucas Eduardo estudante de Jornalismo, um dos organizadores do movimento VemPraRuaPassosMG.  

O administrador de empresa, Oberdan da Silveira Barsosa,  disse “as pessoas precisam saber que elas têm direito de fazer manifestações, o artigo 5º da Constituição Federal garante a você se manifestar, desde que seja pacificamente, sem perturbação da paz. A manifestação é valida e temos que fazer isso sempre”, acredita. 

O Diretor teatral e um dos organizadores do movimento, Maurílio Romão, disse que o ato público “é um momento único da nossa democracia, pela primeira vez aqui em Passos estou vendo as pessoas irem às ruas, reivindicando, tudo organizadamente e principalmente sem violência, foi tudo maravilhoso”, conclui.     

O desfecho da manifestação foi na porta da Câmara Municipal, do qual os organizadores fizeram um discurso e os manifestantes colocaram seus cartazes e faixas na porta da Câmara em forma de protesto.

Segundo a Polícia Militar a manifestação foi tranquila e não houve nenhuma ocorrência. Para a PM, no momento de pico, haviam cerca de seis mil pessoas na manifestação. Para outros eram apenas mais de mil, caso da TV Globo. As estatísticas demonstram que no 1 m² cabem 4 pessoas, assim para o total de 6 mil pessoas seriam necessários 1500 m².  Ou seja, tomando por base as duas pistas da avenida Francisco Avelino Maia, incluindo os passeios e calculando a largura como sendo de 20 metros, a passeata teria que ter, no pico, 75 metros de extensão para atingir os seis mil participantes avaliados pela PM.

Para Durar

Segundo o organizador do movimento Lucas Eduardo, o movimento irá perdurar, e que esse evento foi para determinar o porquê eles estavam ali. E principalmente para que a população de Passos entenda que aqui (Passos) tem um povo que está disposto a lutar pelos seus direitos. Eles também propuseram um debate na Câmara Municipal de Passos com o vereadores. A ideia é dialogar com as autoridades do município sobre a aprovação da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias, que para eles, foi aprovada sem que fosse consultada a população. (A Câmara fez uma audiência pública sobre o tema e nela compareceram mais de 50 pessoas). A LDO permite o prefeito alterar o valor  do IPTU (corrigindo a Planta Genérica de Valores, por exemplo)  e voltar a cobrar a Taxa de Iluminação Pública no município. Leidhy Silva, jornalista organizadora do movimento VemPraRuaPassosMG,  disse que “o movimento vai continuar sim, se depender de nós organizadores, provavelmente estaremos na Câmara Segunda-feira (01) e vamos pressionar, pois queremos uma sessão extraordinária para eles (vereadores) nos ouvir”, disse.    

O que disseram 

Derci Moraes, aposentada:

“Maravilhosa essa manifestação, sou aposentada do Tribunal de Justiça e já vi muita bandalheira no país, hoje  eu estou aqui junto com o povo”.

Larissa dos Santos, estudante de Direito: “Acho muito importante essa manifestação, é uma forma de alertar a população sobre os problemas que estão acontecendo em nosso país, e como a gente deve cobrar os nossos direitos perante o governo, pedindo melhorias na nossa cidade e saber para onde estão sendo usados os nossos impostos”.

Marcio Takahashi,chopeiro:

“Temos que apoiar esse tipo de manifestação para assim o Brasil mudar, não podemos mais ficar calados, o momento é esse. Morei 17 anos no Japão e nunca vi um tipo de manifestação dessas lá, o governo japonês é excelente, a educação é ótima e as leis realmente funcionam no Japão. Se estamos aqui hoje é porque as coisas não funcionam no Brasil”.

Leidhy Silva,jornalista e uma das organizadoras do movimento:

“A manifestação foi fantástica, eu no auge dos meus 23 anos, nunca imaginei viver isso aqui.Vale a pena sair às ruas e você tirar tudo o que está engasgado aqui dentro, por anos e anos de descaso, de injustiça, e na hora que grita tudo isso dá vontade de sair na rua mais e mais vezes para reivindicar os nossos direitos”.

 

 

 

 

MANIFESTANTES EM FRENTE A PREFEITURA DE PASSOS
Slideshow: Iniciar Total de fotos: 5