enquete

  • Aqui vem o tema da enquete que poder ser alterado acessando o Painel de Controle do Portal.
  • Opo 2
    Opo 3
    Opo 4

18/10/2013 16:09h - Atualizado em 18/10/2013 16:21h

SADE PEDE RESSARCIMENTO DE GASTOS COM REMDIOS DE ALTO CUSTO

Por Ascom Passos
Ilustração
Ilustração

A Secretaria de Saúde do Município de Passos irá acionar o Governo de Minas Gerais na Justiça para pedir o ressarcimento dos gastos com medicamentos de alto custo fornecidos pela Prefeitura, mas que são obrigação do Estado, através da Gerência Regional de Saúde (GRS). A decisão tem como base o alto custo dos remédios para a administração municipal, que já enfrenta uma séria dificuldade financeira e vem tendo mais despesas por conta desse problema.

O secretário interino de Saúde, Gilberto Lopes Cançado, o Betaca, explica que são diversos tipos de medicamentos caros que o Estado deveria fornecer, mas, estranhamente, na GRS de Passos, não fornece. “Nós sabemos que em outras cidades da região não há falta de remédios, a Gerência Regional de Saúde manda pra eles, mas para Passos, não”, queixa-se Betaca, acrescentando que através da Procuradoria-Geral do Município vai acionar o Estado na Justiça para que o dinheiro gasto seja devolvido ao Município.

 “Se estão faltando esses remédios, não é culpa nossa, é da Regional de Saúde, porque é obrigação do Estado fornecê-los”, afirma Betaca. Como tem informações de que os mesmos produtos não faltam para outros municípios da região, o secretário irá solicitar, por meio do Ministério Público, a lista dos medicamentos que a Gerência Regional de Saúde entrega na região, e, com os dados comprovados, processar o Estado.

São diversos tipos de remédios de alto custo que a Justiça, a pedido do Ministério Público, que a Prefeitura vem fornecendo aos pacientes. Só com um deles, por exemplo, o Lucentis, usado na oftalmologia, a administração já gastou R$ 78.960,00 neste ano. “Quando o remédio é de responsabilidade do Município, não há falta. Nós fornecemos”, disse o secretário.